TUBERCULOSE – Sintomas, Tratamento, Prevenção e Tipos da doença

Tuberculose:

A tuberculose é uma doença infecciosa causada por uma bactéria chamada de Mycobacterium tuberculosis, também conhecida como bacilo de Koch, em homenagem a Robert Koch, médico alemão que identificou a bactéria.

É considerada uma doença socialmente determinada, pois sua ocorrência está diretamente associada à forma como se organizam os processos de produção e de reprodução social, assim como à implementação de políticas de controle da doença. Os processos de produção e reprodução estão diretamente relacionados ao modo de viver e o trabalho do indivíduo.

A tuberculose pulmonar é a forma mais frequente e generalizada da doença. Porém, o bacilo pode afetar também outras áreas do nosso organismo, como, por exemplo, laringe, os ossos e as articulações, a pele (lúpus vulgar), os glânglios linfáticos (escrófulo), os intestinos, os rins e o sistema nervoso.

A tuberculose miliar consiste num alastramento da infecção a diversas partes do organismo, por via sanguínea. Este tipo de tuberculose pode atingir as meninges (membranas que revestem a medula espinhal e o encéfalo), causando infecções graves denominadas de “meningite tuberculosa”.

Tipos de tuberculose:

Tuberculose extrapulmonar:

A doença acomete outros órgãos do corpo, que não sejam os pulmões.

Tuberculose pleural:

Esse tipo atinge uma membrana do pulmão conhecida como pleura. Os sintomas mais frequentes são: dor na região do tórax, falta de ar e água na membrana pleural.

Tuberculose ganglionar:

Extremamente comum entre as pessoas com o vírus HIV, afetando principalmente os gânglios (linfonodos) da região do pescoço. A bactéria responsável (bacilo de Koch) causa o aumento da região e, apesar de não causar dor, o crescimento dos gânglios pode gerar o desenvolvimento de fístulas na pele.

Tuberculose óssea:

Acomete a região da coluna vertebral e pode causar dores na região das costas. Os sintomas tendem a piorar com o tempo e quando não é tratada corretamente pode causar alterações no sistema neurológico e inclusive afetar os motivos do corpo.

Tuberculose urinária:

O problema pode ser confundido facilmente com casos de infecção urinária devido aos sintomas sentidos. Na hora do diagnóstico é essencial que o médico responsável prescreva o uso de antibióticos específicos e também realize exames como a urocultura. Esse tipo de tuberculose requer cuidados rápidos, para evitar que a situação se agrave e cause insuficiência renal.

Tuberculose cerebral:

Esse tipo merece atenção redobrada. Quando o tratamento correto não é realizado é possível que o quadro evolua para uma meningite e forme tumores no sistema nervoso central.

Tuberculose ocular:

Os casos de tuberculose ocular costumam atingir primeiramente os pulmões e, de forma secundar, a infecção acaba afetando o globo ocular. Esse tipo, que é considerado raro, é mais comum entre os homens e indivíduos negros. Também pode ser mais frequente em pessoas com as defesas imunológicas fracas (soropositivas, diabéticas ou com câncer).

Tuberculose cutânea:

A tuberculose de pele ocorre com maior frequência em países tropicais e com muita umidade. É comum entre os indivíduos de baixa renda social ou imunodeprimidos. A infecção, assim como em outros casos, atinge primeiramente o pulmão, e pode acabar se dissipando para outras partes do corpo.

Tuberculose do coração (pericardite):

O saco que fica em volta do coração, conhecido como pericárdio, acaba sofrendo uma inflamação (pericardite) e, devido a isso, acaba afetando à saúde do paciente, causando diversas complicações em outros órgãos do corpo.

Tuberculose do peritônio:

Costuma ser um problema muito raro e grave. Os altos índices de mortalidade causados por esse tipo de tuberculose acontecem devido à dificuldade em diagnosticar a doença e realizar o seu tratamento. Os sintomas são, em sua grande maioria, pouco suficientes para conseguir um diagnóstico concreto. É essencial que o paciente realize exames como a laparoscopia para conseguir afirmar a existência dos casos de tuberculose gastrointestinal e do peritônio.

Sintomas de Tuberculose:

Alguns pacientes não exibem nenhum indício da tuberculose, outros apresentam sintomas aparentemente simples que são ignorados durante alguns anos (ou meses). Contudo, na maioria dos infectados, os sinais e sintomas mais frequentemente descritos são:

  • Tosse seca contínua no início, depois com presença de secreção por mais de quatro semanas, transformandose, na maioria das vezes, em uma tosse com pus ou sangue;
  • Cansaço excessivo;
  • Febre baixa geralmente à tarde;
  • Sudorese noturna;
  • Falta de apetite;
  • Palidez;
  • Emagrecimento acentuado;
  • Rouquidão;
  • Fraqueza;
  • Prostração.

Os casos graves de tuberculose apresentam:

  • Dificuldade na respiração;
  • Eliminação de grande quantidade de sangue;
  • Colapso do pulmão;
  • Acumulo de pus na pleura (membrana que reveste o pulmão) – se houver comprometimento dessa membrana, pode ocorrer dor torácica.

Tratamento da Tuberculose

A tuberculose é uma doença que tem cura sendo que é necessário o acompanhamento médico rigoroso até que o vírus esteja completamente extinto. A tuberculose é diagnosticada a partir dos primeiros sintomas de tosse compulsiva. Durante o acompanhamento médico, são efectuados exames como o exame do escarro, baciloscopia ou uma radiografia ao tórax.

A prevenção é feita através da vacina do BCG, administrada durante os primeiros 30 dias de vida com o intuito de proteger as formas mais graves da doença sendo que é até obrigatória. Além disso é também importante que, pessoas contagiadas, tenham o cuidado de não respirar em ambientes saturados, pouco arejados e pouco limpos de forma a evitar o propago.

O tratamento da doença uberculoseé feito através de medicação e dura cerca de 6 meses devendo sempre ser seguido medicamente. Durante o tratamento existem diversos cuidados que não devem ser descurados como a eliminação de hábitos de beber ou fumar, já que podem gerar complicações a nível pulmonar.

É importante citar também que a tuberculose é uma doença que pode matar se não for atentamente acompanhada e diagnosticada. Além disso, o abandono dos tratamentos pode também levar a morte já que possibilita o aparecimento de novos bacilos de Koch. Na grande maioria, o tratamento da doença é feito em casa podendo no entanto existir a possibilidade de internamento se as manifestações da doença se agravarem de forma significativa.

Pelo seu carácter contagioso e pelas complicações que lhe estão inerentes, a doença foi declarada como emergência mundial pela Organização Mundial de Saúde e é uma das maiores preocupações desta organização já que é uma estirpe facilmente transmissível, embora tenha o seu maior foco de incidência nos países mais empobrecimentos, principalmente a nível de condições de limpeza.

Prevenção:

A prevenção da doença se torna eficaz a partir da imunização massiva da população. Por isso, o próprio Ministério da Saúde aconselha que logo após o nascimento os bebês já sejam vacinados contra a doença. A doença BCG é essencial principalmente em indivíduos debilitados, como bebês prematuros ou com o vírus HIV (transmitido através do parto).

Apesar disso, outras recomendações podem ser importantes na hora de evitar a doença, como evitar ambientes fechados e sem a circulação necessário do ar, evitar colocar as mãos nos olhos, nariz ou boca quando elas não estiverem higienizadas.

Para prevenir a doença é necessário imunizar as crianças obrigatoriamente no primeiro ano de vida ou no máximo até quatro anos, com a vacina BCG. Crianças soropositivas ou recém-nascidas que apresentam sinais ou sintomas de aids não devem receber a vacina. A prevenção inclui evitar aglomerações, especialmente em ambientes fechados, mal ventilados e sem iluminação solar. A doença não se transmite por objetos compartilhados.

Indivíduos que não receberam a vacina BCG nos primeiros anos de vida devem realizar o teste PPD (também conhecido como Mantoux) para evitar um possível contato com a bactéria. Quando esse teste não apresenta nenhum tipo de reação, significa que a vacinação contra a tuberculose nunca foi realizada.

Atenção – O conteúdo deste artigo é meramente informativo, e não tem nenhuma intensão de substituir a orientação, o diagnóstico, ou o aconselhamento médico profissional. Por favor converse com seu médico para maiores informações.

Leia também:

AVC:
Pneumonia:
Hepatite Alcoólica:
Hipertensão:

Saiba mais sobre Tuberculose – Pesquise abaixo!

Pesquisa Personalizada
Botão de chamada CHS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*