PANCREATITE AGUDA – Causas, Sintomas, Tratamentos e Prevenção

Pancreatite Aguda:

A Pancreatite aguda é uma doença inflamatória aguda do pâncreas, que acomete as estruturas peripancreáticas e órgãos distantes, decorrente da ingestão da auto-digestão tecidual pelas próprias enzimas pancreáticas.

Nos casos mais graves pode desenvolver Síndrome da Resposta Inflamatória Sistêmica (SIRS), podendo levar ao óbito. Porém, na grande maioria dos pacientes, não ocorre sequelas morfológicas nem funcionais no pâncreas.

Ocorre uma inflamação no pâncreas associadas a áreas de necrose gordurosa, acometendo o parênquima e tecido ao redor do pâncreas, omento e mesentério.

Nos casos mais graves há extensas áreas de necrose, ruptura dos vasos e sangramento.

Sintomas de Pancreatite Aguda:

Os sintomas de pancreatite aguda costumam variar de pessoa para pessoa, mas o sintoma mais comum desta forma da doença é a dor progressiva na parte superior do abdômen, que torna-se constante e piora com o passar dos dias. A dor causada pela forma aguda da pancreatite também pode:

• Irradiar para a região das costas;
• Piorar minutos após comer ou beber, especialmente no caso de alimentos com altas quantidades de gordura;
• Pior se deitar de costas.

Outros sintomas também podem surgir, a exemplo de:

• Náuseas e vômito;
• Sensibilidade e inchaço na região abdominal;
• Gases;
• Fezes com cor de argila;
• Soluço;
• Indigestão;
• Amarelamento brando da pele;
• Icterícia;
• Surgimento de erupções ou lesões na pele.

Casos severos podem causar desidratação e pressão baixa. Pode haver insuficiência cardíaca, pulmonar ou renal. Se ocorrer sangramento no pâncreas, pode acontecer estado de choque ou até morte.

Fatores de risco:

Alguns fatores são considerados de risco por especialistas para o desenvolvimento de pancreatite aguda. Estes são:

• Histórico familiar da doença;
• Tabagismo;
• Alcoolismo;
• Uso de alguns medicamentos.

Causas da doença:

As causas mais comuns de pancreatite são o alcoolismo (pancreatite alcoólica), quando a bebida inflama diretamente o pâncreas, e a migração de cálculos da vesícula biliar para o canal da bile (pancreatite biliar) causando sua obstrução, impedindo a bile e o suco pancreático de chegarem até o duodeno. Essas duas formas de pancreatite respondem por cerca de 80% dos casos.

Os outros 20% são decorrências de traumas abdominais (como acidentes de trânsito e agressões em brigas), infecções, alterações metabólicas (aumento das taxas sanguíneas de cálcio, colesterol, triglicérides, etc), uso de alguns medicamentos (AZT, corticóides, diuréticos, anti-hipertensivos, antibióticos) entre outras menos comuns. São bastante incomuns de serem encontradas no dia-a-dia.

Diagnóstico para Pancreatite Aguda:

O seu médico irá diagnosticar pancreatite aguda baseando-se em:

• Sintomas;
• Exame físico;
• Algumas análises laboratoriais;
• Geralmente, os exames de sangue revelam altos níveis de duas enzimas pancreáticas.

Em alguns casos, uma tomografia computadorizada pode ser realizada. A varredura pode identificar inchaço do pâncreas e acúmulo de líquido no abdômen.

A verificação também pode mostrar se você tem pseudocistos de pâncreas. Pseudocistos são bolsas de enzimas digestivas. Estes, desenvolvem-se nalguns casos de pancreatite grave ou após ataques repetidos.

As complicações graves podem ocorrer se os pseudocistos estourarem e as enzimas derramarem sobre tecidos vulneráveis.

Se houver suspeita de cálculos biliares, um exame de ultrassom da vesícula biliar pode ser realizado.

Tratamento para Pancreatite Aguda:

O tratamento para pancreatite aguda deve ser orientado por um gastroenterologista e consiste em internar o paciente e deixá-lo em jejum, sendo hidratado com soro fisiológico na veia. Este procedimento consegue aliviar a dor em cerca de 80% dos casos, pois diminui a atividade do pâncreas.

Além disso, o médico pode recomendar o uso de remédios analgésicos e anti-inflamatórios, como Paracetamol ou Ibuprofeno, assim como antibióticos, como Amoxicilina, para complementar o tratamento em casa.

Nos casos de pancreatite aguda grave, pode ser necessário recorrer a cirurgia para retirar de pedras na vesícula ou para remover a parte afetada do pâncreas. Nestes casos, o paciente pode desenvolver diabetes, pois o pâncreas é o responsável pela produção de insulina, e, por isso, pode precisar fazer injeções de insulina para o resto da vida.

Possíveis complicações:

Pancreatite aguda pode causar complicações graves, incluindo:

• Cistos ou abscessos no pâncreas;
• Infecções pancreáticas;
• Problemas respiratórios, como a Síndrome do desconforto respiratório agudo (SDRA);
• Desnutrição, diarreia e perda de peso;
• Insuficiência renal aguda;
• Acúmulo de líquido no abdome (ascite);
• Insuficiência cardíaca.

Prevenção para a doença:

Você pode reduzir o risco de episódios novos ou repetidos de pancreatite adotando medidas para prevenir as condições médicas que podem levar à doença, bem como evitando consumir álcool em excesso e cortando o cigarro e o uso recreativo de drogas definitivamente.

Atenção – O conteúdo deste artigo é meramente informativo, e não tem nenhuma intensão de substituir a orientação, o diagnóstico, ou o aconselhamento médico profissional. Por favor, converse com seu médico para maiores informações.

Saiba mais sobre Pancreatite Aguda – Pesquise abaixo

Pesquisa Personalizada
Botão de chamada CHS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*