HEPATITE ALCOÓLICA – Diagnóstico, Causas, Sintomas e Tratamentos

Hepatite Alcoólica:

A hepatite alcoólica é uma condição médica na qual o fígado fica inflamado, geralmente devido ao consumo de álcool. A condição é geralmente ligada ao consumo excessivo de álcool. No entanto, estudos têm demonstrado que a doença não afeta apenas consumidores compulsivos de álcool, mas também os consumidores moderados podem acabar dsencadeando a doença.

Uma vez que o paciente é diagnosticado com essa condição, os médicos geralmente recomendam a interromper imediatamente o consumo de álcool. Se não for interrompido, pode levar a danos adicionais para o fígado, tais como cirrose, insuficiência hepática ou até mesmo a morte. O álcool danifica o fígado, quando consumidos por um período prolongado, o que provoca inflamação do mesmo.

Fatores de risco:

O álcool pode causar inchaço e inflamação (hepatite) no fígado. Com o tempo, isso pode levar a cicatrizes e à cirrose. A cirrose é a fase final da doença hepática alcoólica.

Outros fatores importantes:

A doença hepática alcoólica pode ser mais comum em algumas famílias;
Esta doença não ocorre em todas as pessoas que abusam do álcool:
Você não precisa ficar embriagado para o desenvolvimento da doença;
As mulheres podem ser mais suscetíveis do que os homens;
Pessoas que bebem demais muitas vezes não consomem alimentos saudáveis e nutrientes suficientes. Uma alimentação ruim pode agravar a doença hepática;
A hepatite alcoólica aguda pode ser resultado do consumo excessivo de álcool (cinco doses para o homem, quatro doses para a mulher). Ela pode colocar a vida em risco.

Sintomas da hepatite alcoólica:

Os sintomas variam com base na gravidade da doença. Eles geralmente são piores após um período recente de consumo excessivo de álcool.

Talvez, não se apresentem os sintomas até que a doença esteja em uma fase avançada.

Sintomas comuns:

Dor e sensibilidade abdominal;
Boca seca e aumento da sede;
Fadiga;
Icterícia;
Perda de apetite;
Náusea;
Inchaço ou acúmulo de líquido nas perdas (edema) e no abdome (ascite) quando a cirrose está presente;
Perda de peso.

Alterações na pele:

Pele mais escura ou mais clara, mas de forma incomum;
Vermelhidão nos pés ou nas mãos;
Pequenos vasos sanguíneos vermelhos na pele, em formato de aranha;
Cor amarela na pele, nas membranas mucosas ou nos olhos (icterícia);
Sangramento anormal;
Fezes sanguinolentas, pretas escuras ou como piche (melena);
Hemorragia nasal ou gengival;
Vômitos com sangue ou de material semelhante à borra de café.

Sintomas no cérebro e sistema nervoso:

Agitação (ficar inquieto, excitado ou irritado);
Alterações de humor;
Confusão (encefalopatia);
Períodos de diminuição da agilidade ou da atenção;
Alucinações;
Perda de memória recente ou antiga;
Dor, dormência ou formigamento nos braços ou nas pernas;
Dificuldade de prestar atenção ou concentração;
Capacidade de discernimento diminuída;
Movimentos lentos e vagarosos.

Outros sintomas que podem ocorrer:

Desenvolvimento de mamas em homens;
Tontura ou desmaio, especialmente quando está em pé;
Palidez.

Causas:

A metabolização do álcool no fígado, produz produtos químicos altamente tóxicos, que podem formar cicatrizes no fígado. Essas cicatrizes, a seguir, levam à inflamação e à hepatite alcoólica.

Apesar de o alto consumo de álcool provocar hepatite alcoólica, os médicos não sabem com certeza qual é a causa da doença.

Como a hepatite alcoólica não ocorre em todos as pessoas que bebem muito, outros fatores podem influenciar o desenvolvimento dessa doença. São eles:

Fatores genéticos que afetam como o organismo processa o álcool;
Presença de outros problemas de fígado, como hepatite C;
Subnutrição.

As mulheres correm maior risco de ter hepatite alcoólica. Isso pode dever-se às diferenças na forma como o corpo masculino e feminino absorvem e decompõem o álcool.

Tratamento da hepatite alcoólica:

Abstinência do álcool:

O principal tratamento para a doença é a abstinência do álcool, assim algumas vezes o fígado apresenta uma pequena recuperação, suficiente para manter suas funções vitais permitindo ter uma vida normal.

Pode-se usar outras formas de tratamento como:

Repouso de forma intensa, tratamento sintomático das náuseas, vômitos e dores abdominais, correção dos distúrbios hidroeletroliticos e metabólicos, correção da desnutrição protéica-calórica e das deficiências vitamínicas e de ácido fólico, cuidados relativos a infecções e hemorragias gastrointestinais, entre outras medidas.

Medicamentos para reduzir a inflamação do fígado:

Em pacientes com hepatite alcoólica severa nos quais há certeza no diagnóstico a melhor maneira de tratamento são os corticóides. Geralmente recomendam : S-adenosil-L-metionina, pentoxifilinam, entre outros medicamentos, porém esse método ainda não foi avaliado em pacientes que tenha associado à doença pancreatite, hemorragia gastrointestinal, insuficiência renal e infecções.

Transplante de fígado:

Para casos graves, o transplante de fígado é a única esperança. As taxas de sobrevivência para transplante de fígado para hepatite alcoólica são semelhantes aos de outras formas de hepatite, superior a 70% nos cinco primeiros anos.

Prevenção:

A melhor maneira de prevenir a doença hepática alcoólica é evitar o álcool, ou, consumi-lo com moderação. A doença hepática alcoólica também pode ser prevenida através de uma nutrição adequada e proteção contra as hepatites virais.

Atenção:

O conteúdo deste artigo é meramente informativo, e não tem nenhuma intensão de substituir a orientação, o diagnóstico, ou o aconselhamento médico profissional. Por favor converse com seu médico para maiores informações.

Leia também:

Câncer de ovário:
Câncer de mama:
Câncer de próstata:

Saiba mais sobre Hepatite Alcoólica – Pesquise abaixo!

Pesquisa Personalizada
Botão de chamada CHS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*