CÂNCER DE ESTÔMAGO – Tipos, Causas, Sintomas e Tratamentos

Câncer de Estômago:

O câncer de estômago, também denominado câncer gástrico, pode ter início em qualquer parte do estômago e se disseminar para os linfonodos da região e outras áreas do corpo, como fígado, pâncreas, intestino, pulmões e ovários.

A sua incidência é maior em homens que em mulheres e varia de acordo com o país, provavelmente associado à dieta. Em países como EUA e França, a incidência é baixa. Já na America Latina e Japão, a incidência da doença é alta.

Causas do Cancer de Estômago:

Os médicos ainda não sabem ao certo o que causa o câncer de estômago, mas sabe-se que há uma forte correlação entre uma dieta rica em sal e em alimentos defumados e em conserva e o desenvolvimento de dieta.

Em geral, o câncer de estômago começa quando ocorre um erro no DNA da célula. Essa mutação faz com que a célula cresça e se multiplique rapidamente. As células cancerosas acumuladas formam aquilo que chamamos de tumor, podendo invadir outras partes do corpo também, espalhando-se rapidamente por todo o organismo.

Sintomas de Câncer de Estômago:

Não há sintomas específicos do câncer de estômago. Alguns sinais da doença podem, na verdade, ser confundidos com outras doenças gástricas, a exemplo da gastrite, úlcera e outros problemas. Os principais sintomas são:

  • Fadiga
  • Sensação de inchaço após comer
  • Sensação de saciedade após ingerir pequenas quantidades de alimentos
  • Azia grave e persistente
  • Indigestão grave
  • Náuseas persistentes e aparentemente sem explicação
  • Dor de estômago
  • Vômitos persistentes
  • Perda de peso não intencional

Vômito com sangue ocorre em cerca de 10 a 15% dos casos de câncer de estômago. Também podem surgir sangue nas fezes, fezes escurecidas, pastosas e com odor muito forte (indicativo de sangue digerido).

Quando o exame físico está sendo realizado, o paciente com câncer pode sentir dor no momento em que o estômago é palpado.

Tipos de Câncer de Estômago:

O câncer gástrico pode ser classificado de acordo com o tipo de célula que originou o tumor. A maior parte dos casos (95%) tem origem na mucosa e recebe o nome de adenocarcinoma. Os demais são linfomas, leiomiosarcoma e outras variedades mais raras. Abaixo, citamos os três mais comuns:

Adenocarcinoma:

O adenocarcinoma é um tipo de câncer (neoplasia maligna) que possui características secretórias, se originando em tecido glandulares. É o terceiro tumor maligno mais frequente no mundo depois do câncer de pulmão e da mama. A sua incidência tem diminuído nos países ocidentais, mas mesmo assim continua como uma das causas principais de morte no mundo.

Linfoma:

O linfoma é um tipo de câncer que tem origem nos linfonodos (glânglios) por todo o corpo, principalmente no timo, baço, amídalas, medula óssea e tecidos linfáticos no intestino. Assim como outros tipos de linfomas, eles são divididos em subtipos complexos entre Linfoma de Hodgdkin e Linfoma Não Hodgkin.

O linfoma do estômago apresenta uma incidência baixa (3% dos cânceres do estômago), podendo ser dividido em dois tipos:

Linfoma gástrico MALT (Musoca-associated lymphoid tissue) – É um tipo de linfoma associado a mucosa constituída por células pequenas e com baixo grau de malignidade.

O segundo tipo, é um linfoma de células grandes e com alto grau de malignidade, mas com uma incidência muito rara (quando comparada com o Linfoma Gástrico MALT).

Leiomiosarcoma:

O Leiomiosarcoma é um dos tumores benignos da musculatura lisa do estômago, geralmente localizados em qualquer órgão também. Sua incidência é baixa.

Fatores de Risco:

Fatores relacionados à dieta:

  • Alimentação pobre em vitamina A e C;
  • Carnes e peixes, ou ainda, um alto consumo de nitrato;
  • Alimentos defumados;
  • Alimentos enlatados;
  • Alimentos com corantes ou conservados no sal.

Fatores ambientais:

  • Ingestão de água proveniente de poços que contêm alta concentração de nitrato também estão relacionados com a incidência do câncer de estômago.

Fatores de risco de origem patológica:

  • Anemia perniciosa;
  • Lesões pré-cancerosas como a gastrite atrófica e metaplasia intestinal e as infecções gástricas pela bactéria Helicobacter pylori podem ter fortes relações com o aparecimento desta neoplasia.

Fatores sociais:

  • Fumantes; ou que consomem bebidas alcoólicas;
  • Indíviduos que já tenham sido submetidos a operações no estômago, também têm maior probabilidade de desenvolver este tipo de câncer.

Tratamento para o Câncer de Estômago:

O tratamento do câncer de estômago depende do tamanho e da localização do tumor, de estar localizado ou de haver se disseminado além do estômago, e do estado de saúde geral da pessoa. O câncer de estômago pode ser tratado com cirurgia, radioterapia ou quimioterapia.

Frequentemente, uma combinação dos tratamentos é utilizada. A cirurgia de ressecção (gastrectomia) de parte ou de todo o estômago, associada à retirada de linfonodos, representa sua maior chance de cura. A radioterapia e a quimioterapia são consideradas tratamentos complementares que, associados à cirurgia, podem determinar melhor resposta ao tratamento, além de aumentar as chances de cura.

Em estágios iniciais, quando o tumor ainda está confinado dentro do estômago, o tratamento consiste em cirurgia para remover a parte afetada do órgão e os linfonodos da região. Se o tumor se espalhou para a parede externa do órgão ou para os linfonodos, é empregada a cirurgia mais quimioterapia e radioterapia.

Mesmo em estágios mais avançados, quando o tumor se espalhou para outras áreas do corpo, a cirurgia pode ser associada à quimioterapia para evitar complicações, como o sangramento digestivo, e aumentar a qualidade de vida e a sobrevida do paciente.

Prevenção para o Câncer Gástrico:

Para prevenir o câncer de estômago é fundamental uma dieta balanceada composta de vegetais crus, frutas cítricas e alimentos ricos em fibras. Além disso, é importante o combate ao tabagismo e à diminuição da ingestão de bebidas alcoólicas.

A detecção precoce é de fundamental importância para a cura do câncer de estômago, e pode ser feita por rastreamento populacional, através de exame radiológico contrastado do estômago. Este procedimento é indicado somente para pessoas que residem em áreas com elevado índice de incidência e mortalidade.
No entanto, ao sentir sintomas digestivos como dor de estômago, saciedade precoce ou vômitos, inclusive hemorrágicos, procure um médico.

Atenção – O conteúdo deste artigo é meramente informativo, e não tem nenhuma intensão de substituir a orientação, o diagnóstico, ou o aconselhamento médico profissional. Por favor, converse com seu médico para maiores informações.

Saiba mais sobre o Câncer de Estômago – Pesquise abaixo

Pesquisa Personalizada
Botão de chamada CHS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*